Discurso de formatura do 3ºE.M. C do Instituto Dona Placidina 26/01/12

27 01 2012

Retrospectiva

        Foram anos na escola, passando mais de 5 horas por dia fora das nossas confortáveis casas pra ficar sentados numa cadeira dura, ouvindo nossos professores passarem o que de melhor eles tinham, e vez ou outra, jogando uma conversa fora com os colegas.

        No começo, lá nas séries iniciais, muitos não gostavam de ir para escola, os pais tentavam deixar na entrada, mas logo começavam a chorar, era uma luta. Nos sujávamos de tinta e o giz de cera era o principal instrumento de trabalho, alegria total. O tempo foi passando e tivemos que nos acostumar com a escola, mesmo não admirando muito a ideia. E então,  entramos para o ensino fundamental. Até a nossa antiga 4ª série era um mistério, meninos para um lado, meninas de outro, era desajeitado esse contato direto. Na segunda metade do ensino fundamental, dávamos nossos primeiros passos. Aprendíamos sobre somas, multiplicações, verbos TO BE, células e até sobre guerras mundiais. Não tínhamos um senso crítico bem definido acerca do que nos acontecia, os fatos em si eram somente aceitos, pouco julgados e refletidos. Nossos pensamentos eram tímidos e muitas vezes reprimidos por vozes até então consideradas maiores e absolutas. Eram poucos os que se expressavam, e quando o faziam, eram julgados baderneiros, fora do “senso comum”. E no fundo, todos temiam a bronca do professor. Mas naturalmente fomos crescendo, evoluindo nosso intelecto e capacidade de assimilar as coisas. Nos tornamos críticos, para os pais e professores, os clássicos “aborrecentes”, um clichê comum da nossa época.

        Na escola, o ensino médio marca o início de uma longa jornada acadêmica, e é onde encontramos nossos talentos, dons e habilidades em determinados assuntos que nos interessam. As bases dos conhecimentos são as mesmas, porém com um pouco mais de complexidade. Aprendemos muito bem sobre um logaritmo, uma progressão aritmética, ainda falamos em verbos TU BE com os nossos FRIENDS, filosofamos e debatemos muito sobre o meio ambiente em filosofia e sociologia, cuidamos do nosso corpo em educação física, viramos experts em DNA, calculamos com exímia precisão em física, nos dedicamos aos H2Os, CO2 e nos deliciamos com relatos de Histórias Vivas.

2011

        2011 foi um ano de muitos desafios, dificuldades, mas também de conquistas incalculáveis. Lançamos alguns projetos… Eram inovadores, incomuns, diferentes de muita coisa que já tinham tentado. Enfrentamos oposição, concorrência, mas acolhemos as opiniões alheias. Fomos simpáticos, meio inocentes, até tolos para alguns, porém, muito bem políticos. Lutamos por um único objetivo, mas pessoalmente obtivemos inúmeros resultados. Resultados esses tão bons quanto o esperado.

         Para aproveitar o momento, agradeço a todos que ajudaram na conquista desse dia. A aqueles que venderam os deliciosos doces muitas vezes feitos por nossas mães, quase todas as sextas feiras, aos que contribuíram para o torneio de futebol, ao Pedro Henrique, o Pedrinho, por nos apoiar tão bem nos momentos tensos das aulas e aceitar nossas brincadeiras, aos funcionários por nos acolherem todas as manhãs, aos professores por nos orientarem e a toda a direção, por nos apoiarem. E a todos nossos amigos e colegas, que estiveram presentes em vários momentos de nossas vidas.

        Bom, dizem que é errando que se aprende. E pelo menos nós, do 3ºC aprendemos muito com nós mesmos. Brigamos, choramos, debatemos e demos muita, mas muita risada. Cada momento foi único e especial pelo simples fato de ter acontecido com vocês, amigos que tanto prezamos.


Vida nova

        Mas agora a história é outra… Daqui pra frente é cada um por si. Todo e qualquer sucesso pessoal, será conquistado a cada dia como um fruto do nosso esforço. Devemos ser honestos, puros, sem nenhuma malícia, mas cheios de garra e objetivos focados em ser alguém melhor. Devemos ser mais críticos, saber falar não penas do futebol ou da novela, temos que analisar os problemas da nossa sociedade e encontrar soluções. Devemos ser políticos. É clichê falar isso, mas o futuro do Brasil e do Mundo depende de nós. Não podemos deixar que mentes fracas possam atrapalhar o nosso caminho. Devemos enxergar o mundo com outros olhos. Observar meticulosamente as pessoas que nos cercam e principalmente, aquelas que nos comandam e dizem o que devemos fazer. Temos que questionar tudo e não aceitar um único argumento como uma verdade única e absoluta, e lembrem-se: uma mentira contada mil vezes, vira uma verdade.

        Fazer uma faculdade não é tudo, ter um diploma pode não significar muita coisa. O essencial mesmo é o conhecimento, por isso, ESTUDE! O mundo não para, recebemos informações a todo o momento e devemos estar preparados para recebê-las e processá-las da melhor forma possível, absorvendo assim, o máximo de conhecimento. Grandes nomes da atualidade como Steve Jobs (Aplle), Bill Gates (Microsoft), Mark Zukerberg (Facebook) e Michael Dell (Dell) nunca concluíram suas faculdades, no entanto são os melhores no que fazem. E a semelhança entre eles não é só a ausência de diplomas, ambos tinham em comum um sonho, aliado de grandes ideias e força de vontade. Um sonho é apenas um sonho uma vez desacompanhado desses dois fatores. Porém se você tem um sonho e força de vontade, não hesite em ir adiante, ideias vêm e vão, é só uma questão de tempo até elas se encaixarem.

        O seu tempo é limitado, então não o gaste vivendo a vida de um outro alguém. Não deixe que o barulho da opinião alheia cale a sua própria voz interior. E o mais importante: tenha coragem de seguir o seu próprio coração e a sua intuição. Eles de alguma maneira já sabem o que você realmente quer se tornar. Todo o resto é secundário.

Finalizando

        Infelizmente crescemos com a idéia de que estudamos para trabalhar, trabalhamos para ganhar dinheiro, e ganhamos dinheiro para sermos felizes. Isso é mentira! O capitalismo nos pregou isso. Nós estudamos para adquirir conhecimento, adquirimos conhecimento para vivermos melhor e consequentemente sermos felizes. Uma frase de Dalai Lama dizia o seguinte:

         “O que mais surpreende é o homem, pois perde a saúde para juntar dinheiro, depois perde o dinheiro para recuperar a saúde. Vive pensando ansiosamente no futuro, de tal forma que acaba por não viver nem o presente, nem o futuro. Vive como se nunca fosse morrer e morre como se nunca tivesse vivido.”

        Enfim… felicidade não é uma coisa que se planeja ou se negocia, não há hora ideal para ser feliz, senão agora! Se hoje sentimos saudades, foi porque ontem fomos felizes. E saudades, é o que eu sentirei de vocês, meus amigos.

                                                                                                                                                                                                                      Boa noite!





Reconheça e livre-se dos vícios

20 12 2011

 A maneira como você fala, trabalha, dirige, pensa, interage com outros, gasta o seu dinheiro, trata as pessoas queridas, tudo é influenciado pelos seus hábitos.

            Se, por um lado, os hábitos são uma solução interessante para reduzir a carga de raciocínio nas tarefas repetitivas, por outro eles podem destruir a saúde de uma pessoa. Isso acontece quando existe a associação da sensação de prazer com o uso de alguma substância prejudicial ao corpo.  Nesse caso, eles se transformam em “vícios”.

            “Hábitos ruins são fáceis de adquirir e tornam a vida difícil; hábitos bons são difíceis de adquirir e tornam a vida fácil”. A sua tarefa é reconhecer, evitar ou livrar-se dos seus vícios, substituindo-os por bons hábitos.

            A melhor maneira de evitar um vício é não se expor a ele. Em palavras simples, não “experimente” drogas, bebidas, cigarros ou qualquer porcaria da moda. Tenha personalidade para não ser levado pela opinião de “amigos”. Recuse e afaste-se dessa “turma de perdedores”. Você não faz parte desse grupo. Você é um vencedor! Então tenha a atitude de um! A maioria das pessoas que se viciam é levada pela curiosidade ou pela necessidade de reconhecimento e aprovação no grupo. Se você tiver curiosidade a respeito, estude o assunto e visite hospitais. Se você precisa de reconhecimento, tenha a personalidade e vença pela competência pessoal. Você será reconhecido e admirado por isso. Você não precisa de aprovação de um grupo de perdedores. Fique longe deles e ajude aqueles que quiserem sair do vicio. É relativamente simples reconhecer um vício estabelecido. Em geral ele se manifesta com nitidez no comportamento ou na fisiologia da pessoa. Você vê o efeito nocivo do vício, sabe que tem que parar de provocar aquela situação, mas não consegue se livrar da necessidade gerada pela dependência. […] Agarre-se em alguma coisa que seja capaz de ajudá-lo a evitar entregar-se ao hábito no momento crítico de decisão quando existe a dificuldade de manter a promessa de ficar fora do vício e de resistir a tentação de usar “só mais uma vez”.

            Tome a decisão antes: eu não vou me entregar! Não se permita repensar a decisão na hora crítica. Foco na sua força. Afaste-se da situação, corra se for preciso. Substitua o vício por uma atitude mais saudável. […]

                                                                                                       Pontes, Marcos. “É possível”- 2ª edição, São Paulo – 2010, pp. 124-126.





“Sua alma é a sua palma”

25 10 2009

O homem é o único animal racional, que se organiza por meio de instituições que formam-se a partir de suas bases familiares em um método de aprendizagem do tipo informal. A partir dessas instituições, formamos o que denominamos de sociedade, onde são muito complexas e cada qual contendo o seu tipo de cultura, modos e costumes diferenciando das demais. Muitas delas seguem o seguinte modo, se você tem algo de valor torna-se alguém de destaque dentro dela.
A educação informal de cada pessoa começa dentro da sua própria casa, a partir de seus pais ou da pessoa que te cria quando ainda pequeno. Conforme vamos crescendo, somos instruídos ao modo “vivendo e aprendendo”, onde cada situação da nossa vida é absorvida e analisada minuciosamente por nós, para que possamos realizar experiências posteriores.
sua alma é a sua palmaA escola, no entanto, apresenta-se na vida de uma pessoa para lhe passar uma base de uma futura profissão. É fato, porém, que aprendemos muitas coisas inúteis nela, pois não fazemos a aplicação prática de metade delas no nosso cotidiano e ainda temos que “aprender” e posteriormente registrar tudo em uma “prova”, o que supostamente seria essencial para a nossa formação…
Nos tempos de hoje, infelizmente se faz presente a idéia do “ter e ser”. Se você possui um poder aquisitivo maior do que o restante das pessoas, parabéns, você é o mais novo queridinho da cidade e se torna um ser mais bem aceito e “digno” de viver em sociedade. No entanto, é um fato dizer que os ricos são mais prestigiados dentro de uma sociedade, mas isso só ocorre, pois ela mesma impõe e cria alguns parâmetros sociais e culturais, onde essa realidade retrógada que para você ser alguém, você deverá possuir algum poder monetário elevado. O fato é que para você criar esses status de rico, você deve e muito, se esforçar para ser alguém na vida. O que você é ou deixa de ser não é de importância para ninguém, a não ser de você mesmo, ainda que hoje aconteça totalmente o contrário.
Toda uma vida resume-se em você nascer, ser educado por alguém, seguir um caminho e se destacar ou não na sociedade. O método de aprendizagem de uma pessoa pelas bases familiares vale muito mais do que é “aprendido” ficando sentado em uma carteira por no mínimo quatorze anos da sua vida. Há algumas lições assimiladas no decorrer de sua vivência, que livro nenhum ensina ou dá as definições por meio de uma equação matemática ou algum conceito filosófico sobre como é ou deve-se proceder. “Ter e ser” é apenas um conceito imposto pela própria sociedade onde nem tudo na vida é apenas ter um bom carro e um terno com risca de giz, é você ter um comportamento próprio, uma idéia própria e uma postura adequada ao seu modo de viver sem a influência de outros, onde você faz o que lhe convém, e não o que a sociedade lhe impõe.





Apego material

11 10 2009

Mundo materialista o nosso, não? Hoje em dia vemos os jovens sempre atrás das coisas pelas quais estão em destaque na mídia. Não só os jovens, mais muitos adultos tem essa postura de só se identificarem com o luxuoso, caro e fútil que no final das contas, não servem para absolutamente nada, a não ser para a ostentação da beleza da imagem física.
É vergonhoso admitir, que em um mundo como o de hoje, onde grandes desequilíbrios tanto sociais quanto naturais se fazem presente, as pessoas se interessem mais pela sua roupa, corte de cabelo ou sapato do que com as pessoas que sobrevivem apenas com uma refeição por dia.futilidade
O mundo está muito focado na imagem, naquilo que a pessoa tem e nada mais. Esses dias, eu estava vendo uma reportagem no jornal que dizia assim: “Acompanhe as tendências primavera- verão 2010”… Fiquei revoltado. Revoltado no sentido de não entender em que de positivo na minha vida aconteceria se eu mantivesse meu guarda-roupa atualizado segundo essa maneira de se vestir, na qual julgo ser completamente RIDÍCULA. O que me aconteceria se não seguisse a esse padrão de estilo? Não poderia mais andar com as minhas roupas na rua? Seria preso? Linchado? Espero que não…
Eventos de grande prestígio da alta sociedade, como aquele tal de fashion week deveriam ser banalizados da sociedade, pois para muitos é apenas um modo de o rico se entreter com mais um evento fútil e imaturo. Porque ao invés de fashion week, não fosse realizado um evento chamado save the world? Não seria bem mais útil e prazeroso pensar em como ajudar o mundo a sobreviver por pelo menos até a era dos seus netos do que apreciar um desfile de corpos raquíticos exibindo uma roupa completamente fora da realidade social?
Em muitas famílias, um presente de grande valor que é dado para um filho, tenta substituir um abraço, alguns minutos de conversa e um momento de amor e carinho que muitas vezes é mais valioso do que qualquer distração material que pode ser paga pelo homem.
O mundo anda muito focado no dinheiro, no bem material. No conceito de muitas pessoas o dinheiro é mais do que essencial para a felicidade e bem-estar de um ser. Muitas pessoas são infelizes com o dinheiro, no entanto do outro lado da moeda muitas ainda são muito felizes tendo apenas o necessário para a sua própria sobrevivência.
Nós devemos parar de pensar em termos mais e mais, sendo que no final das contas ninguém consegue levar NADA consigo quando deste mundo, partimos. Devemos deixar de lado o fútil e o fantasioso e começarmos a nos importar mais com o natural e maravilhoso que a vida nos proporciona. E o melhor de tudo isso é que não tem juros e nem anuidade, apenas o custo de uma pessoa que ao invés de ser subornada pelo seu dinheiro, ama tudo o que faz e dá valor as pequenas coisas, que no final fazem toda a diferença!





Ah! a escola, a vida e muita risada.

27 09 2009

Durante grande parte da nossa juventude, nós somos “obrigados” (ta certo que se você não quiser ir a escola, o problema é seu… teoricamente, porque o  problema NÃO é seu, e sim dos seus pais. Você pode até não querer, mais são eles sempre te obrigam a ir) a ficarmos em torno de 6 horas sentados em uma cadeira desconfortável, em uma sala cheia de gente louca para ouvir o tão esperado sinal soar e o pior de tudo, aturando um professor mal humorado explicando um assunto que você considera completamente inútil para a sua vida.aprender

Quando você é pequeno, ainda é medroso, baixava a guarda por qualquer sermão mais rígido e se intimidava fácil em ficar perto de gente do sexo oposto, onde também, selinho era a coisa mais incrível e impossível para uma criança de 9 ou 10 anos (bom, se hoje crianças dessa idade já beijam na boca, desconsiderem minha afirmativa anterior…). Mas felizmente, tudo isso acaba, você começa a crescer, ficar mais maduro (nem todos, vai), começa a pensar por si só e a se questionar mais vezes sobre coisas que a cerca de um ano atrás era extremamente normal e realizado por você sem que fosse analisado uma única vez se quer… é a adolescência. Momento da vida de um jovem, onde ele é rotulado como chato, inconveniente e que a cada dia só consegue fazer com que os seus pais se questionem na onde foi que cometeram alguns erros  na hora de te educar.  No entanto, o que acontece é que pelo fato de o adolescente começar a dar os seus primeiros passos sozinho, ele faz com que os seus pais se incomodem com o fato de que o seu filho já não é mais a criancinha de ontem que brincava de carrinho e boneca  embaixo das asas deles. Tudo bem, ta certo que os pais não devem liberar geral para os filhos nessa fase, porque tem muitos jovens atentados, que não sabem usar da sua liberdade e acabam extrapolando a cota, causando verdadeiras desordens no meio onde vivem, assunto esse que vou deixar para falar mais na próxima postagem.

Mas é isso, quanto mais vivemos , aprendemos que existem coisas em nossas vidas que foram feitas para serem vivenciadas em uma única vez, sem uma segunda chance, e é por isso que devemos aproveitar cada segundo da nossa existência para que tudo o que fizemos, não seja em vão. Devemos falar, nos expressar, dar risadas, debatermos, aproveitar a nossa liberdade ao máximo e principalmente, falar aquilo o que pensamos, por isso, manifeste-se!





A primeira de MUITAS…

27 09 2009

Olá pessoal, primeira postagem do blog, novinho ainda hahahaha. E é com grande prazer, que estou iniciando esse “trabalho”  onde irei falar ao longo do tempo, sobre várias coisas que sempre quis compartilhar com as pessoas. Gostaria também, que ao longo das postagens, vocês deixassem a sua opinião, o que acharam sobre a postagem e discutissem o assunto, seria muito bom.felicidade

Nunca tive um blog, primeira experiência minha com esse tipo de atividade, por isso, digo que irei me esforçar ao máximo e sempre deixarei novas postagens com assuntos diversos e interessantes (espero que ao menos para vocês, isso aconteça).

Sejam muito bem- vindos ao meu blog, Hora do Manifesto, espero que aproveitem…








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.